Apple e outras gigantes planejam enviar carta a Trump manifestando-se contra o banimento de estrangeiros

A Ordem Executiva 13769, assinada pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (não vou negar que meus dedos ainda estremecem quando escrevo isso), continua causando reações deveras enérgicas país afora. O decreto que proíbe terminantemente a entrada de refugiados sírios e cidadãos de sete países considerados “ameaças” à soberania dos EUA por 90 dias, podendo ser estendido após isso, recebeu críticas severas de diversos segmentos da sociedade e foi respondido com protestos em várias cidades do mundo todo.

A Apple e outras grandes empresas de tecnologia já deixaram bastante claras suas posições contrárias à ordem, mas aparentemente vão dar mais um passo nesta resistência. Segundo o Recode, um grupo composto de algumas das maiores empresas americanas do ramo, incluindo Apple, Microsoft, Google/Alphabet, Facebook, Uber, Stripe e outras, está escrevendo uma carta endereçada ao novo presidente para reforçar e formalizar a oposição.

O site obteve um rascunho da carta, que traduzimos livremente abaixo:

Caro Presidente Trump,

Desde o nascimento deste país, a América tem sido a terra da oportunidade — recebendo imigrantes e dando a eles a chance de construir famílias, carreiras e negócios nos Estados Unidos. Nós somos uma nação fortalecida pelos imigrantes. Como empresários e líderes executivos, nossa habilidade de fortalecer nossas empresas e criar empregos depende da contribuição de imigrantes de todos os lugares.

Nós apoiamos a sua meta de assegurar que nosso sistema de imigração respeite as regras de segurança atuais e mantenha nosso país seguro. Estamos preocupados, entretanto, que a sua ordem executiva recente afete um grande número de portadores de visto que trabalham duro aqui nos Estados Unidos e contribuem para o sucesso do nosso país. Numa economia global, é crucial que nós continuemos atraindo os melhores e mais brilhantes talentos do mundo todo. Nós apreciamos as mudanças que a sua administração fez nos últimos dias em como o Departamento de Segurança Nacional vai implementar a ordem executiva, e nos colocamos à disposição para ajudar a sua administração a identificar outras oportunidades para garantir que nossos empregados possam viajar sem surpresas e sem atrasos de última hora.

A compaixão da nossa nação é parte do que a faz excepcional, e nós estamos prontos para ajudar a sua administração a identificar formas de realizar uma triagem completa de imigrantes sem que haja a necessidade de um banimento indistinto de admissões no programa de recebimento de refugiados. Ainda que a segurança e os procedimentos de veto possam e devam ser sempre sujeitos a avaliação e melhora, um banimento indistinto não é a melhor abordagem.

Da mesma forma, nos pomos à disposição para identificar formas de ajudar-lhe a cumprir sua meta de trazer prosperidade ao futuro de 750.000 sonhadores deste país sob a proteção do programa de auxílio a crianças imigrantes (DACA) de uma forma que “deixe as pessoas felizes e orgulhosas”. Remover estas proteções, barrando renovações dos vistos, significaria efetivamente o fim do programa e acabaria com a possibilidade destes sonhadores trabalharem e viverem sem o medo da deportação.

A comunidade executiva compartilha da sua dedicação em fazer a economia americana crescer e expandir a criação de empregos em todo o país. Nós contratamos milhares de americanos e muitas das mais talentosas pessoas de outros lugares, que trabalham juntos para ajudar nossas empresas a crescer e expandir sua capacidade de empregar. Conforme você contempla mudanças nas complexas e interconectadas políticas de imigração dos Estados Unidos, seja nos vistos de negócios e emprego, refugiados ou DACA, nós esperamos que você nos use como uma forma de ajuda no caminho para chegar a uma política de imigração que colabore com o trabalho de empresas americanas e reflita os valores deste país.

Aparentemente, o trabalho de Apple, Google e companhia bela agora é angariar o apoio de outras gigantes de outros ramos para que a carta tenha ainda mais peso e ganhe efetividade perante a administração de Trump. Ainda não se sabe, entretanto, quando (ou se) ela será realmente enviada e quais os efeitos disso na prática.

Tudo muito bonito, claro, mas não sejamos ingênuos: estas empresas só estão fazendo isso porque a política de Trump é potencialmente muito prejudicial às suas operações; a partir do momento em que toda essa calamidade passar a ser financeiramente benéfico a elas, podemos garantir que todas se calarão e regojizar-se-ão satisfeitas em seus tronos. O fato de parecer socialmente conscientes e engajadas é apenas um efeito colateral positivo desta manifestação.

De qualquer forma, ao menos é minimamente reconfortante ver que gigantes com um poder econômico com o qual nós, meros mortais, jamais sonharemos estão tomando uma posição razoável em relação a uma situação absurda de xenofobia declarada envolvendo o país mais poderoso do mundo. Talvez, neste caso, os fins justifiquem os meios.

Fonte: MacMagazine

Facebook Comments