Analista afirma que “iPhone 8” não terá sensor de impressão digital na tela

Apertem os cintos, pois nosso amigo Ming-Chi Kuo se pronunciou mais uma vez e, talvez, para desagrado de muitos — ou todos!

O muito bem informado analista da KGI Securities publicou as suas 10 predições para os novos iPhones. Alguns ítens da lista nós já ouvimos bastante rumores; mas há novidades, também — não necessariamente boas.

Na semana passada, nós noticiamos que a fabricante chinesa Vivo anunciou — em parceria com a Qualcomm — um smartphone com o primeiro leitor de impressão digital embutido na tela. Ora, se a fabricante chinesa já conseguiu esse feito, é fácil pensar que a Apple já teria tecnologia similar pronta para o aparelho deste ano, o suposto “iPhone 8”. Entretanto, como um balde de água fria, Kuo afirmou que nós não veremos um leitor de impressões digitais na tela no iPhone em 2017 — e explica a sua posição:

Achamos que ainda há alguns desafios tecnológicos a serem tratados, incluindo: 1. a capacidade de escanear ainda tem margem para melhorias; 2. está mais lento para habilitar; e 3. a resposta está mais lenta.

Ele cita que será necessário uma tela mais fina do que o normal, além de precisar de telas OLED flexíveis para funcionar. Isso quer dizer que pode demorar um pouco mais do que o previsto para algo assim chegar ao mercado.

Além disso, ele corroborou alguns outros rumores: segundo ele, a Apple lançará, sim, três modelos de iPhones. Dois deles seriam apenas uma atualização dos iPhones 7/7 Plus, com design e formato parecidos, permanecendo com a tela LCD e as mesmas polegadas (4,7″ e 5,5″). Já o terceiro modelo, chamado por enquanto de “iPhone 8″, chegará com uma tela OLED de 5,8”. Kuo afirmou que esse modelo terá o melhor aproveitamento de tela do mercado, graças ao “recorte” da parte superior; na inferior, teríamos um botão de Início virtual, resultando em basicamente 5,2″ de tela junto de uma nova “área de função”.

Kuo também fez coro com outros rumores os quais afirmavam que o modelo OLED teria um sensor para reconhecimento facial 3D, além de listar que ele terá carcaça de aço inoxidável e vidro — porém com menos opções de cores — e trará melhorias para o balanço do som estéreo nos alto-falantes. Já os modelos “7s” e “7s Plus” teriam armação em alumínio e traseira de vidro.

Como apontado em março pelo próprio Kuo, os três modelos teriam portas Lightning; na outra ponta (cabos e adaptadores de parede), teríamos a tecnologia USB-C para carregamento mais rápido. Internamente, o “iPhone 8” e o “7s Plus” teriam 3GB de RAM, enquanto o “7s” viriam com 2GB. Em armazenamento, todos teriam opções de 64GB e 256GB. Por fim, Kuo afirmou que os três modelos serão anunciados em setembro, mas o “iPhone 8” chegaria de fato ao mercado um pouco depois, com produção limitada até 2018.

De uma coisa eu sei: a Apple não lançaria nada com funcionamento “meia-boca” e muito menos tiraria do seu maior lançamento algo tão primordial como é hoje o Touch ID — tanto pela rápida autenticação quanto pela integração com serviços, como o Apple Pay. Por isso, se realmente a Maçã lançar um aparelho com o botão de Início virtual, necessariamente precisaria haver um sensor de impressão digital em algum lugar se não na tela. Será que ela adotaria um sensor na parte traseira ou no botão de ligar/desligar como um “tapa buraco”, sem que veja um real futuro para essa nova localização? Acho difícil…

Talvez — e esta é a *minha* opinião — a Apple esteja trabalhando em três modelos pois sabia dos riscos de não conseguir uma tecnologia de impressão digital na tela; assim, se definitivamente não funcionar ou funcionar de uma maneira não satisfatória, pode ser que sequer anunciem esse terceiro modelo, ainda…

Como sempre, vamos ter que esperar para ver.

Facebook Comments